O que é a Psicologia Clínica?

A Psicologia Clínica é uma área do conhecimento que recorre a várias e diferentes estratégias de ação que têm como objetivo primordial provocar mudanças no indivíduo (criança, adolescente ou adulto), mudanças essas que se relacionam com o seu bem-estar e que influenciam e são influenciadas pelo contexto, os comportamentos e as emoções.
Com o objetivo de impulsionar essas mudanças, a intervenção clínica tem sempre em consideração as capacidades e necessidades características de cada etapa do desenvolvimento de cada indivíduo que a ela recorre. A intervenção através da psicologia clínica dá um suporte ao indivíduo no sentido de o capacitar no desenvolvimento de estratégias e competências que visam o melhoramento das suas relações interpessoais, na resolução de conflitos e de dificuldades de ajustamento psicológico.

A quem se destina?

A intervenção clínica está direcionada para todos os indivíduos (crianças, adolescentes ou adultos) que apresentem problemas relacionados com fobias, medos, luto, divórcio, sexualidade, fases de transição da vida (por exemplo divórcio, mudança de emprego, entre outros), distúrbios alimentares, perturbações de personalidade, problemas emocionais, de comportamento ou dificuldades de relacionamento interpessoal, como a agressividade, a ansiedade, a depressão, o isolamento social entre outras desordens relacionadas com o desenvolvimento sócio afetivo.
Dirige-se também a pais de crianças e/ou adolescentes que sintam necessidade de aconselhamento parental, no sentido de encontrarem metodologias e estratégias facilitadoras da tarefa educativa. A intervenção que engloba e visa as práticas parentais é fundamental pois permite alcançar mudanças mais duradouras.

Como decorre?

Quando a intervenção é dirigida a uma criança, a primeira entrevista é realizada com os pais no sentido de recolher informação sobre o historial da criança em todas as vertentes do desenvolvimento, fazendo-se nesse momento a descrição do problema nas suas diferentes facetas.
A partir da segunda sessão é feita a análise do problema e a definição partilhada dos objetivos da intervenção.
Estas primeiras consultas estão englobadas na fase de avaliação que abrange várias sessões, cujo objetivo é realizar o diagnóstico das dificuldades e identificar os fatores que as influenciam, assim como detetar recursos para a sua resolução.
No caso de o pedido de intervenção ter como alvo um adolescente ou adulto a primeira entrevista é realizada ao próprio.

Intervenção

A construção do programa terapêutico é realizada nesta fase onde é delineada a definição partilhada dos processos de intervenção e respetiva integração no dia-a-dia. Conforme se trate de crianças, adolescentes ou adultos, são implementadas estratégias específicas e diferenciadas e é realizada a monitorização do processo.
Ao longo da intervenção são realizadas reavaliações com o objetivo de recolher informação acerca do ritmo de desenvolvimento, acerca das áreas que ainda precisam de ser alvo de intervenção ou da necessidade de continuar com a mesma. As sessões têm duração aproximada de 60 a 90 minutos e a periodicidade das mesmas dependerá das necessidades de cada indivíduo.